Viver no Senhor – Um blog a serviço da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Igreja Católica Apostólica Romana. – – – Sejam Todos Bem-Vindos! Quando neste blog é falado, apresentado algo em defesa da Igreja, contra o protestantismo, é feito com um fundo de tristeza ao ver que existem "cristãos" que se levantam contra a única Igreja edificada pelo Senhor Jesus no mundo. Bom seria se isto não existisse, a grande divisão cristã. Mas os filhos da Igreja têm que defendê-la. Saibam, irmãos(ãs), que o protestantismo, tendo que se sustentar, se manter, se justificar, terá que ser sempre contra a Igreja católica (do contrário não teria mais razão de sê-lo) ainda que seja pela farsa, forjar documentos, aumentar e destorcer fatos (os que são os mais difíceis para se comprovar o contrário pelos cientistas católicos, pois trata-se de algo real, mas modificado, alterado para proveito próprio.) E tentarão sempre atingir a Igreja na sua base: mentiras contra o primado de São Pedro, contra o Papa e sua autoridade, contra o Vaticano, contra a sua legitimidade, etc, etc. São, graças a Deus, muitos sites católicos que derrubam (refutam) estas mentiras, provando o seu contrário, bastando portanto se fazer uma pesquisa séria, por exemplo, com o tema: cai a farsa protestante, refutando o protestantismo, etc. O Espírito Santo jamais abandona sua Igreja. Que saibamos, por este Espírito, amar aos protestantes que não participam destas ações malignas, e aos que se incumbem destas ações, os inimigos da Igreja, que saibamos, ainda que não consigamos amá-los o bastante, ao menos respeitá-los, em sua situação crítica perante Jesus e desejar a eles a conversão e a Salvação de Nosso Senhor Jesus. "Se soubéssemos verdadeiramente o que é o inferno, não o desejaríamos ao pior inimigo".

Traidores da Igreja

 Henrique Guilhon
O que quer dizer Igreja? A Igreja é o povo de Deus em comunhão com o Senhor em oração, em caminho no mundo e militante, no Céu.  A Igreja é também o Corpo Místico de Jesus. O protestantismo pode usar essa afirmação para justificar a “independência” da Igreja católica, já que, a Igreja somos todos nós (e isto é verdadeiro e inegável), não há razão para se pertencer a uma instituição religiosa qualquer como um meio vital espiritual. Mas tal afirmação “despenca” de maneira drástica quando se confronta com o Evangelho de São Mateus, 16,18 (“Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a MINHA Igreja, e as portas do inferno nunca prevalecerão sobre ela”).
   
Ainda tenta, esse movimento, justificar de formas tão tolas, sem nexo e até irrisórias, dizendo que a edificação que Jesus fez da Igreja foi sobre Ele mesmo e não sobre Pedro, ou somente sobre a “confissão de Pedro, pois chama a esse de “pedrinha”, numa suposta tradução da linguagem usada no Evangelho. Incrível! Será que não percebe esse movimento que, logo no versículo 19, quando Jesus disse que dará, de maneira simbólica, “as chaves” do “Reino dos Céus”, e o que ele ( e não a “sua confissão” ) “ligar na Terra” assim será no Céu, e o que “desligar na Terra” assim também será no Céu, demonstrando de maneira clara uma fortíssima autoridade “ligar e desligar no Céu”?! Não é um desligamento e ligamento de um aparelho elétrico qualquer, de um carro, de um robô… é NO CÉU! Dá pra sentir o peso, não? E que peso! Agora, imagine Jesus dizendo edificar a Igreja sobre si próprio ( ou “unicamente sobre a confissão de Pedro” ), e, a seguir, devolvendo a Autoridade a Pedro. Que troca-troca! Ou seria uma indecisão de Jesus? 
   
Em Jo 21, 15-17, Jesus pergunta três vezes a Pedro se ele o amava, e nas três respostas de Pedro, Jesus completava: ” apascenta as MINHAS ovelhas”, reafirmando o seu projeto sobre Pedro de liderar sua Igreja, fora as inúmeras passagens na Bíblia que se percebe claramente este projeto de Jesus sobre Pedro. E isso teve que ter sua continuidade, é claro, e tal continuidade se dá nos sacerdotes chefiados por esse líder que hoje, mesmo não querendo, o protestantismo, chamamos de Papa. Portanto, mesmo a Igreja sendo todos nós, ela só é autêntica se partir desta origem: Pedro. Caso contrário, ao se separar dela, torna-se como um ramo separado do tronco de uma árvore. Sabemos bem o que acontece a este ramo. O Espírito Santo jamais deixaria de cumprir sua promessa pronunciada por Jesus de uma eterna assistência e de vitória da Igreja católica sobre as portas do inferno, pois seria um fracasso no cumprimento desta promessa. 
    No nº 846 do Catecismo da Igreja católica (CIC), encontra-se bem claro: ” Fora da Igreja não há salvação”. Como seriam salvos então, esses irmãos? No mesmo número a Igreja católica diz: ” Por isso, não podem salvar-se aqueles que sabendo que a Igreja católica foi fundada por Deus por meio de Jesus Cristo como instituição necessária, apesar disso não quiserem nela entrar ou nela perseverar”. Notemos que há dois tipos de situação: Os que sabem que a Igreja católica é a verdadeira Igreja e nela não quiserem entrar, e os que já são dela e não quiserem nela perseverar, ou seja, nela continuar sua missão de batizado, de engajado, enfim, de um continuador da história do cristianismo na verdadeira Igreja.
     É certo, que, aqueles que não sabem que a Igreja católica é a verdadeira e única Igreja edificada pelo próprio Jesus aqui na Terra, no caso, os irmãos protestantes que já nascem e são batizados no protestantismo,  e procuram viver de maneira correta e no Espírito Santo os ditames de sua consciência ( e cabe aqui afirmar  que quem se deixa dirigir  verdadeiramente pelo Espírito, não se torna um perseguidor da Igreja católica, pois do contrário, Ele ( o Espírito Santo) estaria agindo contra si Próprio), sem dúvida encontrarão a salvação em Jesus, por caminhos que só Ele conhece, pois Ele pagou nossos pecados com seu próprio sangue, e é misericórdia infinita. Do contrário, aquele que pertence a Igreja católica, e dela sai, pelo motivo que seja, não tem como encontrar a salvação.
    Trai a Igreja, todo aquele que, batizado na Igreja católica, Dela sai, para favorecer outra denominação, difamando-A, dando um contra-testemunho, muitas vezes, dizendo ter sido um viciado sem encontrar vitória, um doente sem ter encontrado cura, um problemático que não encontrou solução, etc, por ter pertencido à Igreja católica. Na grande maioria das vezes, o traidor nunca procurou uma vida correta de vivenciamento na Igreja católica no que diz respeito a frequência das celebrações dominicais, a fazer leituras e estudos bíblicos, procurar Nela as justificativas de suas afirmações, enfim, a tentar verdadeiramente viver No, e buscar o Espírito Santo. E os que assim procediam, e mesmo assim traíram a sua Igreja, com certeza não foi por causa de uma suposta ineficácia Dela, mas por sua culpa em não ter agido como deveria, em buscar ajuda dentro Dela para resolver seus problemas, dissipar suas dúvidas…
    É certo, também, que muitos desses traidores são pessoas muito queridas nossas, familiares, valiosos amigos… só nos resta então orarmos ardente e incessantemente, para que esses irmãos retornem à Igreja edificada pelo próprio Jesus, a Igreja católica, como muitos já fizeram. Com certeza, pela força do nosso insistente clamor e oração, eles voltarão, e os que não quiserem voltar, vamos continuar orando e clamando, para que Nosso Senhor possa usar esses mesmos caminhos que só Ele conhece, para levar a salvação a esses irmãos. Nesse caso, realmente, só a infinita misericórdia de Deus, pois fora da Igreja não há salvação. Jesus não edificou sua Igreja sem um imenso motivo.
 
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: