Viver no Senhor – Um blog a serviço da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Igreja Católica Apostólica Romana. – – – Sejam Todos Bem-Vindos! Quando neste blog é falado, apresentado algo em defesa da Igreja, contra o protestantismo, é feito com um fundo de tristeza ao ver que existem "cristãos" que se levantam contra a única Igreja edificada pelo Senhor Jesus no mundo. Bom seria se isto não existisse, a grande divisão cristã. Mas os filhos da Igreja têm que defendê-la. Saibam, irmãos(ãs), que o protestantismo, tendo que se sustentar, se manter, se justificar, terá que ser sempre contra a Igreja católica (do contrário não teria mais razão de sê-lo) ainda que seja pela farsa, forjar documentos, aumentar e destorcer fatos (os que são os mais difíceis para se comprovar o contrário pelos cientistas católicos, pois trata-se de algo real, mas modificado, alterado para proveito próprio.) E tentarão sempre atingir a Igreja na sua base: mentiras contra o primado de São Pedro, contra o Papa e sua autoridade, contra o Vaticano, contra a sua legitimidade, etc, etc. São, graças a Deus, muitos sites católicos que derrubam (refutam) estas mentiras, provando o seu contrário, bastando portanto se fazer uma pesquisa séria, por exemplo, com o tema: cai a farsa protestante, refutando o protestantismo, etc. O Espírito Santo jamais abandona sua Igreja. Que saibamos, por este Espírito, amar aos protestantes que não participam destas ações malignas, e aos que se incumbem destas ações, os inimigos da Igreja, que saibamos, ainda que não consigamos amá-los o bastante, ao menos respeitá-los, em sua situação crítica perante Jesus e desejar a eles a conversão e a Salvação de Nosso Senhor Jesus. "Se soubéssemos verdadeiramente o que é o inferno, não o desejaríamos ao pior inimigo".

Posts marcados ‘Curiosidade’

Extremos: Madre Teresa teve visões de Jesus e depois sofreu a “noite escura da alma”

Public Domain

Aleteia
Duas etapas espirituais profundamente intensas: aparentemente contraditórias, elas foram complementares no seu caminho de santidade.
Somente após a morte da Santa Madre Teresa de Calcutá é que se soube que ela tinha tido visões de Jesus antes de fundar a congregação das Missionárias da Caridade. No decurso da sua causa de canonização, foram encontrados documentos que relatavam as locuções e visões experimentadas pela religiosa várias décadas antes, entre 10 de setembro de 1946 e 3 de dezembro de 1947, quando ela ainda fazia parte das Irmãs de Loreto.
Um dos relatos registra que, durante a Comunhão, ela ouviu de Jesus:
“Quero religiosas indianas, vítimas do Meu amor, que sejam Marta e Maria, que estejam tão unidas a Mim que irradiem o Meu amor às almas“.
Foi nessas locuções que Jesus a inspirou a fundar as Missionárias da Caridade.
Outra frase de Jesus a ela foi “Venha, seja Minha luz“, título da coletânea de cartas privadas da então beata Madre Teresa, publicada como livro pelo pe. Brian Kolodiejchuk, postulador da causa de canonização.
Em outra das visões, Jesus indicou à madre que a nova congregação deveria contar com “freiras livres, cobertas da Minha pobreza da Cruz. Quero freiras obedientes, cobertas da minha obediência na cruz. Quero freiras cheias de amor, cobertas da minha caridade na Cruz“.
Após o período de visões e locuções do Senhor, a religiosa passou a sofrer, em 1949, uma etapa de escuridão e aridez espiritual que se prolongaria durante incríveis 50 anos. Trata-se da provação conhecida como “noite escura da alma“, vivenciada e relatada por diversos santos ao longo da história da Igreja. Nessa experiência dolorosa, a pessoa é purificada antes da união íntima e transformadora com Cristo. A futura santa relatou essa longa fase de escuridão em cartas aos seus confessores e diretores espirituais. Um dos confessores, conforme recorda o pe. Kolodiejchuko, era o padre jesuíta Neuner, que, em 1962, declarou que a noite escura vivida pela Madre Teresa era o “lado espiritual do seu trabalho apostólico”.
Site: Aleteia
Editado por Henrique Guilhon

EM IMAGENS: 9 poderosos símbolos cristãos eternizados nas catacumbas

Creative Commons

Aleteia
Do Bom Pastor ao Alfa e Ômega, do Anagrama do Peixe ao Ágape Fraterno, da Barca ao Khi-Rho: imagens até hoje reluzentes de significado!
As catacumbas romanas são galerias subterrâneas que formam verdadeiros labirintos de vários quilômetros. Dentro delas, os primeiros cristãos, perseguidos pelo Império Romano, enterravam os seus mártires e, excepcionalmente, realizavam alguns ritos litúrgicos na clandestinidade.
A origem da palavra “catacumba” é incerta, mas uma das possibilidades mais apontadas é que o termo venha do grego κατά (abaixo) e τύμβoς (túmulo). Outros estudiosos a consideram uma palavra híbrida formada pelo grego κατά e pela raiz latina –cumbo, que significa “jazer”, “estar deitado”.
São famosas, particularmente, as catacumbas de São Calixto, Santa Domitila, São Sebastião e Santa Priscila. Na de São Sebastião, por exemplo, há fragmentos de pratos usados por ninguém menos que São Pedro e São Paulo, entre outras relíquias preciosíssimas.
Com o Edito de Milão, no ano de 313, terminou oficialmente a perseguição contra os cristãos, que puderam começar a construir igrejas e adquirir terrenos para novos cemitérios. As catacumbas, porém, continuaram sendo usadas até o século V. Pouco a pouco, foram perdendo relevância e caindo quase no esquecimento até serem redescobertas por operários em 1578.
Os desenhos e símbolos gravados nas suas paredes chegam a ser verdadeiras obras de arte, repletas de significado cristão.
Para conhecer alguns dos mais importantes, clique no botão “Abrir a galeria de fotos“:
Site: Aleteia
Editado por Henrique Guilhon

Para ajudar os camponeses, em sua maioria iletrados, a compreenderem as Sagradas Escrituras, São Francisco de Assis encenou pela primeira vez o nascimento do Menino Deus. Nasceu o presépio.

CNBB
Além de Papai Noel, presentes e pinheirinhos ornamentados, o mês de dezembro no Brasil nos traz outra tradição: os presépios – arte que remonta e celebra o nascimento do menino Jesus em Belém, na Judéia. Neste tempo natalino, é possível encontrar presépios em vitrines, praças e nas decorações caseiras em todo o país e até fora dele.
Feitos de vários tamanhos, cores e materiais, o presépio napolitano surgiu no ano de 1223, na pequena cidade italiana de Greccio. Para ajudar os camponeses, em sua maioria iletrados, a compreenderem as Sagradas Escrituras, São Francisco de Assis encenou pela primeira vez o nascimento do Menino Deus. O termo presépio vem do latim Praesaepe, que significa estrebaria ou curral. Em 1290, a igreja de Santa Maria Maior, em Roma, foi reformada e nela instalada a Capela do Presépio, que abriga a gruta que sob o altar permanece o pedaço de rocha que serviu como manjedoura.
Missionário leigo da Ordem Franciscana Secular da diocese de Castanhal (PA), Vítor Hugo Paiva, que assessora a juventude franciscana (Ajufra), juntou o seu grupo e propuseram ao pároco construir um presépio diferente na paróquia São José. Os jovens misturaram as realidades do centro da cidade representada por prédios no plano mais fundo do presépio e, logo em primeiro plano, a periferia com seus casebres. A cabana, onde foi colocada a manjedoura, ficava nessa periferia que era a parte mais clara e mais reluzente do cenário.


Victor Hugo(centro) e a juventude franciscana

“Para nós, o Natal é uma festa de uma profundidade de carisma, de uma profundidade de espiritualidade, de vida mesmo. A questão do presépio é algo que ilustra muito a nossa espiritualidade por que São Francisco é conhecido como o primeiro a ter materializado aquilo que era a imagem do nascimento de Jesus naquela estrebaria”, relata Vítor.
Para o grupo, a montagem foi uma experiência interessante, pois eles tinham o objetivo que Castanhal se tornasse uma nova Belém, lugar onde o Salvador se fizesse vivo e presente efetivamente na vida dos cidadãos daquela região.
“Diariamente, nós iniciávamos os trabalhos rezando e cantando, na esperança de ver Jesus se encarnar na vida do nosso povo. Pregando as tábuas, colando os papeis, ajeitando as palhas, nós fizemos esta experiência”, disse Vítor.
Na tradição católica, o presépio é uma das formas mais antigas de ajudar os fiéis a visualizarem o mistério da encarnação do Filho de Deus, Jesus Cristo, e sempre traz a manjedoura onde o menino nasceu, os animais que estavam presentes, os três reis magos e os pais do Menino, José e Maria. 
Segundo o assessor do Setor Espaço Litúrgico da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Thiago Faccini Paro, o presépio não é um símbolo litúrgico, e não pertence à liturgia. Porém, na liturgia se utiliza muitas coisas que não pertencem a ela, como é o caso do presépio, que torna-se um sinal visível, didático e pedagógico que ajuda os fiéis a celebrarem e compreenderem a liturgia do tempo do Natal.

“Não se tem uma explicação teológica para o presépio. Ele pertence à piedade popular… e cada povo tem suas tradições e maneiras de interpretar os elementos que o compõem”, ressaltou.
De acordo com o padre, o presépio é importante, desde que seja visto e compreendido no espirito próprio daquele tempo litúrgico, no qual este não deve ter mais valor e importância do que a ação simbólico-ritual própria das celebrações dos tempos do Advento e Natal.
Foi com esse gesto de ajudar a comunidade a se preparar para a celebração do nascimento de Jesus que a juventude franciscana de Castanhal montou o presépio e acabou vivenciando uma experiência pessoal de fé. Na reta final da construção, eles decidiram passar o dia na Igreja. Na hora do almoço, a paróquia fechada, entrou um senhor malvestido e sentou no penúltimo banco. Eles ficaram com medo, mas o homem disse que era catador e queria apenas pedir uma doação de alimento. Como a Igreja só reabriria por volta das 14h, o grupo então, decidiu convidar o homem para almoçar.


Juventude franciscana após a montagem do presépio

“Sentamos à mesa e partilhamos nossas vidas. No final, fizemos duas cestas básicas e demos ao seu Carlos. Ele chorou, agradeceu, abraçou cada um de nós e deu feliz Natal. E quando nós terminamos o presépio, todos muito emocionados naquela tarde, fazendo memória deste fato, lembramos que todos os dias durante a construção do presépio a nossa esperança era de ver Jesus, e no último dia, quando nós concluímos o presépio, Ele veio da mesma forma como veio a primeira vez na pessoa de um pobre. Ele não somente veio, não somente o vimos, como nós sentamos à mesa com Ele, ceiamos e Ele nos desejou um feliz Natal”.
Emocionado, Vítor disse que este momento foi “uma experiência fantástica”: “mudou a minha perspectiva de vida, me firmou no meu carisma e na minha espiritualidade franciscana e na cada um dos meus jovens também”.
Na tradição católica, para a montagem do presépio é preciso levar em conta a espiritualidade e o sentido do tempo litúrgico do Advento, que tem duas finalidades: refletir sobre a segunda vinda de Cristo (nos dois primeiros domingos) e a preparação para o Natal de Jesus (no terceiro e quarto domingos).
Segundo o assessor do Espaço Litúrgico da CNBB, padre Thiago Faccini Paro, o presépio só deveria ser montado após o segundo domingo do Advento, em um local discreto e de preferência fora do presbitério. Nunca na frente do altar, centro do espaço celebrativo e que nunca deve ser ofuscado ou escondido por excesso de flores, toalhas etc. Já a desmontagem deve ser feita após a festa da Epifania do Senhor, que ocorre no primeiro domingo após o primeiro de janeiro, popularmente conhecida como “Festa dos Santos Reis”.
Em desenho, escultura ou pintura, a tradição de montar presépio ganhou o mundo. No Brasil, chegou no século XVII e foi montado pela primeira vez em Olinda (PE) pelo religioso Gaspar de Santo Agostinho.
Título Original: A arte dos presépios e seu lugar nas Igrejas é destaque da Revista Bote Fé
Site: CNBB
Editado por Henrique Guilhon

Mãe acredita que seu filho fotografou seu anjo da guarda pela janela do avião

Kerri Liles – Facebook

Aleteia
Comovente experiência foi compartilhada pela mãe no Facebook
Você acredita em anjo da guarda? Kerri Liles, uma mãe do Texas, Estados Unidos, já acreditava, mas certamente sua crença se fortaleceu após uma foto tirada por seu filho Aasher, de apenas 7 anos.
Brincando com o celular da mãe dentro de um avião, o garotinho portador da síndrome de Down fotograva as nuvens enquanto elas viajavam de volta para sua cidade, Houston. No entanto, uma das imagens capturadas pelo menino chamou muito a atenção.
Uma das nuvens tinha um formato diferente das outras. E não era uma forma qualquer. Parecia uma pessoa: cabeça; mãos; torso; pernas. A mãe ficou admirada.
“Estávamos voando de Washington para Houston e meu filho começou a tirar fotos com meu celular. E depois que eu peguei o celular de volta, vi todas as fotos que ele tirou da janela e enquanto excluía algumas, encontrei uma foto diferente de todas as outras“, escreveu a mãe no Facebook.
Kerri prosseguiu contando que acredita o filho fotografou o seu anjo da guarda e disse que o menino tem uma espécie de “sexto sentido” sobre o sentimento das pessoas. “Ele sabe quando alguém precisa de um sorriso ou de um abraço“.
“Creio que ele capturou seu anjo da guarda pela janela naquele dia. E ele o trouxe conforto e paz diante de uma viagem bastante agitada [por causa das turbulências do avião]“, contou a mãe.
Título Original: Menino com Síndrome de Down fotografa “anjo da guarda” pela janela do avião?
Site: Aleteia
Editado por Henrique Guilhon

A conversão de um dos maiores inimigos da Igreja: Voltaire. Como ela se deu?

Carlos Valverde
O catedrático de filosofia Carlos Valverde escreve um surpreendente artigo em que documenta historicamente a conversão de um dos mais célebres inimigos da Igreja Católica.
UM 30 DE MAIO DO ANO 1778: A investigação de documentos antigos sempre mostra surpresas. A última me veio ao folhear o tomo XII de uma velha revista francesa, Correspondance Littérairer, Philosophique et Critique (1753-1793), monumento riquíssimo para conhecer o século do Iluminismo e o começo da Grande Revolução.
Todos sabemos quem foi Voltaire: o pior inimigo que teve o cristianismo naquele século XVIII, em que emitia críticas cruéis. Com os anos crescia seu ódio ao cristianismo e a Igreja. Era nele uma obsessão. Cada noite cria haver afastado a infâmia e cada manhã sentia a necessidade de voltar a declarar: o Evangelho só havia trazido desgraças sobre a Terra.
Manejou como ninguém a ironia e o sarcasmo em seus inúmeros escritos, chegando até o inominável e o degradante. Lhe chamaram de o anticristo. Foi o mestre de gerações inteiras incapazes de compreender os valores superiores do cristianismo, cujo desaparecimento prejudica e empobrece a humanidade.
Pois bem, no número de abril de 1778 da revista francesa acima citada (páginas 87-88) se encontra nada menos que a cópia da profissão de fé de M. Voltaire. Literalmente diz assim:
«Eu, o que escreve, declaro que havendo sofrido um vômito de sangue faz quatro dias, na idade de oitenta e quatro anos e não havendo podido ir a igreja, o pároco de São Suplício quis de bom grado me enviar a M. Gautier, sacerdote. Eu me confessei com ele, se Deus me perdoava, morro na santa religião católica em que nasci esperando a misericórdia divina que se dignará a perdoar todas minhas faltas, e que se tenho escandalizado a Igreja, peço perdão a Deus e a ela.
Assinado: Voltaire, 2 de março de 1778 na casa do marqués de Villete, na presença do senhor abade Mignot, meu sobrinho e do senhor marqués de Villevielle. Meu amigo».
Assinam também: o abade
Mignot, Villevielle. Acrescenta:
«Declaramos a presente cópia conforme a original, que foi entregue às mãos do senhor abade Gauthier e que ambos confirmamos e que ambos temos firmado, como firmamos o presente certificado. Paris, 27 de maio de 1778. Abate Mignot, Villevielle».
Que a relação pode estimar-se como autêntica o demonstram outros documentos que se encontram no número de junho da mesma revista – nada clerical, por certo-, pois estava editada por Grimm, Diderot e outros enciclopedistas.
Voltaire morreu em 30 de maio de 1778. A revista lhe exalta como “o maior, o mais ilustre e talvez o único monumento desta época gloriosa em que todos os talentos, todas as artes do espírito humano pareciam haver se elevado ao mais alto grau de sua perfeição”.
A família quis que seus restos repousassem na abadia de Scellieres. A 2 de junho, o bispo de Troyes, em uma breve nota, proíbe severamente ao prior da abadia que enterre no sagrado o corpo de Voltaire. A 3 o prior responde ao bispo que seu aviso chega tarde, porque – efetivamente – já tinha sido enterrado na abadia.
A carta do prior é longa e muito interessante pelos dados que contêm. Eis o que mais nos interessa agora: a família pede que ele seja enterrado na cripta da abadia até que possa ser trasladado ao castelo de Ferney. O abade Mignot apresenta ao prior o consentimento firmado pelo pároco de São Suplício e uma cópia – assinada também pelo pároco – “da profissão de fé católica, apostólica e romana que M. Voltaire tem feito nas mãos de seu sacerdote, aprovado na presença de duas testemunhas, das quais uma é M. Mignot, nosso abade, sobrinho do penitente e outro, o senhor marquês de Villevielle (…) Segundo estes documentos, que me pareceram e ainda me parecem autênticos – continua o prior – penso que faltaria com meu dever de pastor se lhe houvesse recusado os recursos espirituais. (…) Nem me passou pelo pensamento que o pároco de São Suplício houvesse podido negar a sepultura a um homem cuja profissão de fé havia legalizado (…). Creio que não se pode recusar a sepultura a qualquer homem que morra no seio da Igreja (…) Depois do meio-dia, o abade Mignot tem feito na igreja a apresentação solene do corpo de seu tio. Cantamos as vésperas dos defuntos; o corpo permaneceu a noite toda rodeado de círios. Pela manhã, todos os eclesiásticos dos arredores (…) tem dito uma missa na presença do corpo e eu celebrei uma missa solene às onze, antes da inumação (…) A família de M. Voltaire partiu esta manhã contente das honras rendidas a sua memória e das orações que temos elevado a Deus pelo descanso de sua alma. Eis aqui os fatos, monsenhor, na mais exata verdade”.
Assim me parece que passou deste mundo ao outro aquele homem que empregou seu temível e fecundo gênio em combater ferozmente a Igreja.
A Revolução trouxe em triunfo os restos de Voltaire ao panteão de Paris – antiga igreja de Santa Genoveva – , dedicada aos grandes homens. Na escura cripta, frente a de seu inimigo Rosseau, permanece até hoje a tumba de Voltaire com este epitáfio:
«Aos louros de Voltaire. A Assembleia Nacional decretou em 30 de maio de 1791 que havia merecido as honras dadas aos grandes homens”.
Autor: Carlos Valverde
Fonte: Site “Logos HP”
Tradução: Emerson de Oliveira
Sobre Prof. Felipe AquinoO Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Título Original: A Conversão de Voltaire
Site: Cléofas
Editado por Henrique Guilhon

Muitos vêem imagem do demônio em vitral de templo da IURD

Rainha Maria

As imagens formadas pelo vitral da dita “Catedral” da “Fé” da “Igreja Universal” em Salvador tem causado polêmica na internet por, supostamente, apresentar imagens relacionadas com o ocultismo e até mesmo esconder mensagem subliminar com a imagem de um demônio.
Um vídeo publicado no Youtube mostra a imagem do vitral em destaque, de forma a destacar o que interpreta como uma imagem de baphomet, deus de origem pagã que no satanismo representa o diabo.
– Imaginava que só eu tivesse notado essa imagem no vitral da igreja, de fato se assemelha a imagem da besta e olha que não sigo muito essa linha conspiraçionista, mas, está muito nítido pra mim o que vi e o que vejo, não tentaria convencer ninguém disso, ainda porque vai muito da crença de cada um, no entanto, vale a pena quem poder conferir a imagem ao vivo e tirar suas conclusões – afirma um dos comentários no vídeo.
Os desenhos formados pelo vitral têm sido comparados também com o “olho que tudo vê”, símbolo muito usado na maçonaria. Muitas pessoas tem encarado a formação dessas supostas imagens como mensagens subliminares deixadas pela Igreja Universal.
– Essa Igreja tem o símbolo dos Iluminati. O olho que tudo vê. A fachada sendo a pirâmide e o coração no centro, “o olho” – afirma um dos comentários feitos no vídeo.
Apesar dos muitos comentários afirmando que o vitral da igreja mostra símbolos ocultistas e até mesmo satânicos, outros afirmam se tratar apenas de coincidência e ilusão de ótica. Fonte: Site Cristão Alerta
VEJA O VIDEO:
Diz na Sagrada Escritura:
“Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares.
Tomai, por tanto, a armadura de Deus, para que possais resistir nos dias maus e manter-vos inabaláveis no cumprimento do vosso dever” .(Efésios 6, 12-13)
Por Dilson Kutscher
Como eu já disse, este cidadão se auto proclamou Bispo Macedo,fundou uma seita e o povo desinformado o seguiu. Este é o retrato do fim dos tempos, de uma sociedade que caiu em desgraça, que pelo desespero, de falsas promessas de uma vida melhor, atiraram-se nas fábulas, caindo nas mãos destes falsos profetas. (lobos em pele de cordeiro)
Edir Macedo prega a favor do aborto, declarou durante um culto, que é o pastor mais rico do mundo dando gargalhadas. Ainda declarou que pensou em se suicidar e que pregava nos cultos armado.
NOTICIA DO SITE GOSPEL PRIME
Edir Macedo revela que pensou em suicídio e andava armado
O segundo livro da biografia de Edir Macedo, “Nada a Perder 2″, traz revelações sobre como o líder da Igreja Universal do Reino de Deus enfrentou os ataques que sofreu durante a década de 1990.
Macedo chega a revelar que enquanto era atacado por policiais, promotores e, especialmente, pela Rede Globo, ele teve pensamentos de suicídio. Outra revelação impressionante dada pelo religioso é que ele andava com um revólver calibre 38 escondido no púlpito enquanto pregava.
Foi somente depois de uma experiência espiritual que ele parou de andar com a arma. “Mais tarde fui tocado pelo Espírito Santo, que me convenceu que andar armado era falta de confiança em Deus”, revela.
Eu não preciso dizer mais nada, deixarei a Sagrada Escritura falar:
“Propôs-lhes também esta comparação: Pode acaso um cego guiar outro cego? Não cairão ambos na cova?” (Lc 6, 39)
“Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores”. (Mt 7,15)
“Porque estes tais não servem a Cristo, Nosso Senhor, mas ao próprio ventre, e com palavras melífluas e lisonjeiras seduzem os corações dos inocentes”. (Rm 16,18).
Só um comentário:
 
“E ainda se acham com cacife pra acusar o Papa de “besta fera”… só mesmo “Jesus na causa”
%d blogueiros gostam disto: