Viver no Senhor – Um blog a serviço da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Igreja Católica Apostólica Romana. – – – Sejam Todos Bem-Vindos! Quando neste blog é falado, apresentado algo em defesa da Igreja, contra o protestantismo, é feito com um fundo de tristeza ao ver que existem "cristãos" que se levantam contra a única Igreja edificada pelo Senhor Jesus no mundo. Bom seria se isto não existisse, a grande divisão cristã. Mas os filhos da Igreja têm que defendê-la. Saibam, irmãos(ãs), que o protestantismo, tendo que se sustentar, se manter, se justificar, terá que ser sempre contra a Igreja católica (do contrário não teria mais razão de sê-lo) ainda que seja pela farsa, forjar documentos, aumentar e destorcer fatos (os que são os mais difíceis para se comprovar o contrário pelos cientistas católicos, pois trata-se de algo real, mas modificado, alterado para proveito próprio.) E tentarão sempre atingir a Igreja na sua base: mentiras contra o primado de São Pedro, contra o Papa e sua autoridade, contra o Vaticano, contra a sua legitimidade, etc, etc. São, graças a Deus, muitos sites católicos que derrubam (refutam) estas mentiras, provando o seu contrário, bastando portanto se fazer uma pesquisa séria, por exemplo, com o tema: cai a farsa protestante, refutando o protestantismo, etc. O Espírito Santo jamais abandona sua Igreja. Que saibamos, por este Espírito, amar aos protestantes que não participam destas ações malignas, e aos que se incumbem destas ações, os inimigos da Igreja, que saibamos, ainda que não consigamos amá-los o bastante, ao menos respeitá-los, em sua situação crítica perante Jesus e desejar a eles a conversão e a Salvação de Nosso Senhor Jesus. "Se soubéssemos verdadeiramente o que é o inferno, não o desejaríamos ao pior inimigo".

Posts marcados ‘Bíblia’

Por que há várias traduções da Bíblia?

Cléofas
Os textos da Bíblia começaram a ser escritos desde os tempos anteriores a Moisés (1200 a.C.).
Moisés foi o primeiro codificador das leis e tradições orais e escritas de Israel. Essas tradições foram crescendo aos poucos por outros escritores no decorrer dos séculos. Assim foi se formando a literatura sagrada de Israel. A partir de Salomão (972-932), um grupo de escritores que zelavam pelas tradições de Israel, os escribas e sacerdotes, deram origem ao Pentateuco, os cinco primeiros livros da Bíblia. Depois foram surgindo os outros livros, os Profetas e os Escritos.
A Bíblia grega dos Setenta (LXX), destinada aos judeus da Dispersão, foi traduzida do hebraico para o grego, em Alexandria, por volta do ano 200 anos antes de Cristo.
Demorou alguns séculos para que a Igreja chegasse à forma final da Bíblia. Em vários Concílios, alguns regionais e outros universais, a Igreja estudou o cânon da Bíblia; isto é, o seu índice. O Concílio Vaticano II disse que: “Foi a Tradição apostólica que fez a Igreja discernir que escritos deviam ser enumerados na lista dos Livros Sagrados” (Dei Verbum 8). Isto se deu no século V, no tempo de Santo Agostinho, que dizia: “Eu não acreditaria no Evangelho, se a isso não me levasse a autoridade da Igreja Católica” (Catecismo § 119).
A Bíblia foi escrita em hebraico e grego e, depois, traduzida para o latim e outras línguas. São Jerônimo (347-420), chamado de “Doutor Bíblico”, fez a revisão da versão latina da Bíblia (Vulgata), em Belém, a pedido do Papa São Dâmaso (366-384). Esta versão foi tomada como referência pelo Concilio de Trento (1545-1563).
No século XVII, Antonio Pereira de Figueiredo produziu a clássica tradução católica, baseada na Vulgata. No século XX, com manuscritos hebraicos e gregos descobertos, sobretudo nas grutas de Qumran na Palestina, perto do Mar Morto, em 1947, a Vulgata recebeu uma revisão profunda; surgiu a “Nova Vulgata”, após o Concílio Vaticano II, em 1979, e revisada em 1986. As traduções mais antigas da Bíblia davam mais importância às palavras, hoje se valoriza muito o sentido da frase, dentro do contexto bíblico que se refere.
O Concílio Vaticano II, na “Dei Verbum”, insistiu na necessidade de traduções corretas e adequadas: “Como a palavra de Deus deve estar à disposição de todas as épocas, pede a Igreja com materna solicitude se façam versões corretas e adequadas para as diversas línguas, sobretudo a partir dos textos originais dos livros sagrados… e, com prévia anuência da autoridade eclesiástica, podem ser utilizadas por todos os cristãos” (n.22).
Hoje temos várias traduções da Bíblia. Cada uma delas foi traduzida dentro de uma finalidade, e buscando melhorar a tradução, mantendo o mesmo conteúdo. A antiga edição publicada pela Editora “Ave Maria” (1959), foi elaborada pelo “Centro Bíblico Católico de São Paulo”; é uma tradução da Bíblia dos Monges de Maredsous, beneditinos da Bélgica, que é uma versão francesa dos originais hebraico, aramaico e grego, com base na Vulgata. Esta versão atendeu ao intenso movimento bíblico no Brasil na década de 1950.
A Bíblia de Jerusalém (Ed. Paulinas, 1985), é considerada em alguns países a melhor tradução, pelas opções críticas que orientaram a tradução, as ricas notas, as referências marginais e outras informações valiosas. Foi traduzida dos originais hebraicos, aramaicos e gregos. É uma versão bastante “técnica” e crítica, especial para quem gosta de exegese bíblica.
A Bíblia TEB – Tradução Ecumênica – também foi traduzida com rigor científico, dos textos originais hebraico, aramaico e grego, com introduções, notas essenciais e glossário. A tradução foi feita por ampla equipe de estudiosos de diversas confissões cristãs e do judaísmo, e foi aprovada pela CNBB (Ed. Loyola, Paulinas, 1995). Esta versão tem uma “dimensão ecumênica” com o objetivo de promover a união entre católicos, protestantes e judeus, já que a Bíblia é uma só e deve unir a todos que a usam. A versão em português seguiu a edição francesa.
A necessidade de novas traduções ao longo do tempo surge pelo fato da relação dos vocábulos com a realidade estar em contínua mudança. A CNBB providenciou uma tradução com introduções e notas (Edições CNBB e Canção Nova, 2008), que é o texto de referência para os documentos oficiais da CNBB, textos litúrgicos, etc.
Traduzir é sempre correr o risco de perder algo da força e do texto original. Esse risco tem consequências especialmente sérias quando se quer traduzir a Bíblia fugindo intencionalmente da sua nomenclatura original e típica, a título de que é arcaica ou ininteligível ao homem de hoje. Há hoje uma tendência a fazer novas traduções da Bíblia em “estilo popular”, nem sempre adequadas. Duas traduções sofreram duras críticas de biblistas famosos.
D. Estevão Bettencourt, osb; e D. João Evangelista Martins Terra, S. J., que foi Membro da Equipe Teológica do CELAM e da Pontifícia Comissão Bíblica, criticaram a chamada “Bíblia – Edição Pastoral”, em tradução e notas de Ivo Storniolo e Euclides Balancin. Eles consideraram, que é inspirada por ideologia marxista, deturpa as concepções da história sagrada e da teologia; a leitura materialista aplicada ao texto sagrado torna a mensagem imanentista, fazendo-a perder o seu caráter transcendental…, deturpa o sentido do texto sagrado… e faz “incitamento à luta de classes e às divisões entre os homens”. (Revista Pergunte e Responderemos, Nº 342 – Ano 1990 – Pág. 514).
Outra tradução questionada é a “Bíblia na Linguagem de Hoje”; D. Estevão diz que: “a obra é infeliz, pois, mais do que uma tradução, fizeram uma interpretação, por vezes nitidamente protestante. Além do quê, a adaptação do texto sagrado ao vocabulário popular faz que o novo texto deixa de apresentar termos bíblicos ricos de conotações e temas teológicos como “Tradição, depósito, mistério” (Revista “Pergunte e Responderemos”, Nº 523, Ano 2006, pg.7).
É útil que o cristão possa se utilizar de boas traduções como a de Jerusalém, Ave Maria, TEB e outras aprovadas pela autoridade eclesiástica, para conhecer mais profundamente o “mistério da fé”.
D. Estevão Bettencourt, osb
Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”
Nº 475 – Ano: 2001 – p. 567
Leia também: 
Ouça também: 
Sobre Prof. Felipe AquinoO Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Site: Cléofas
Editado por Henrique Guilhon

O culto aos anjos biblicamente

 
Breviário
O culto aos anjos não foi proibido por São Paulo ao falar dele em Colossenses 2, 16-19:
“Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras; A realidade é Cristo.
Ninguém vos roube a seu bel-prazer a palma da corrida,sob pretexto de humildade ou culto aos anjos. Desencaminham-se essas pessoas em suas próprias visões e , cheias do vão orgulho de seu espírito materialista, não se mantêm unidas à Cabeça da qual todo o corpo, pela união das junturas, se alimenta e cresce conforme um crescimento disposto por Deus.”
Esse texto, mal interpretado , é usado pelos não católicos como argumento para dizer que a Igreja Católica criou uma heresia.
É preciso entender que esse texto na íntegra fala das várias observâncias, objetos de discussão entre os cristãos e os doutores judaizantes.
Quem condenava os cristãos “pelo comer e pelo beber”, senão os fariseus que já haviam condenado os discípulos de Cristo por esse mesmo motivo, por violarem as proibições da Tradição dos Antigos?
Quem, senão os fariseus, poderia condenar os cristãos por causa de “um dia de festa”, “lua nova” ou “sábado”?
Evidentemente quem isso fazia eram os ciosos guardiães da Tradição dos Antigos , os fariseus e seus discípulos.
E quem falava, naquele tempo, sobre o culto aos anjos, propondo uma doutrina gnóstica descrevendo as visões da Merkabah, o anjo Uriel, o anjo Metraton, o anjo Melquisedec, etc, que não são citados na tradição bíblica, daí serem visões próprias, eram os fariseus.
É importante entender que o Apóstolo diz que ninguém nos engane com pretexto de humildade e culto dos anjos, ele não está dizendo que ser humilde ou cultuar os anjos é ruim e contrário aos ensinamentos bíblicos, pois há muitas passagens que mostram esse culto.
Ele está dizendo que alguns sob pretexto de humildade e do culto aos anjos procuram seduzir os fiéis para uma nova doutrina que não se “mantêm unida à Cabeça (Jesus Cristo) da qual todo o corpo (a Igreja), pela união das junturas, se alimenta e cresce conforme um crescimento disposto por Deus.”
São Paulo faz uma crítica às seitas heréticas, gnósticas, que começavam a nascer e deturpar o ensinamento cristão, mas de nenhum modo combate ou critica o culto aos Anjos, conforme ensinado pela Bíblia, culto de veneração(Gen 19,1), tendo-os como modelos de fé e de oração (ICor 13,1):
“14 e aquilo que na minha carne era para vós uma tentação, não o desprezastes nem o repelistes, antes me recebestes como a um anjo de Deus, mesmo como a Cristo Jesus.”(Gal 4,14)
 
Outras passagens que são usadas para criticar o culto aos Anjos são:
10 Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: Olha, não faças tal: sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia. (Apo 19,10)
8 Eu, João, sou o que ouvi e vi estas coisas. E quando as ouvi e vi, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava, para o adorar.
9 Mas ele me disse: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus. (Apo 22,8-9)
Nessas duas passagens, vemos que João se ajoelha para adorar um Anjo, e isso é criticado, mas na passagem do Gênesis vemos Abraão, Ló e Balaão que se ajoelham diante de Anjos, mas não são repreendidos por eles:
2 Levantando Abraão os olhos, olhou e eis três homens de pé em frente dele. Quando os viu, correu da porta da tenda ao seu encontro, e prostrou-se em terra, 
(Gen 18,2)
À tarde chegaram os dois anjos a Sodoma. Ló estava sentado à porta de Sodoma e, vendo-os, levantou-se para os receber; prostrou-se com o rosto em terra, (Gen 19,1).
Então o Senhor abriu os olhos a Balaão, e ele viu o anjo do Senhor parado no caminho, e a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça, e prostrou-se com o rosto em terra. (Nm 22,31)
Podemos concluir, pois, que não é proibido o culto, ajoelhar-se, reverenciar os Anjos, o que é proibido é adorá-los.
Não é o gesto em si ( ajoelhar-se) que é condenado, mas a intenção (de adorar) com que o Apóstolo fazia isso.
E isso a Igreja diferencia em seu culto, reverenciando os servos de Deus (culto de dulia) e adorando o Único Deus, a Trindade Santa, Pai, Filho e Espírito Santo (culto de Latria).
Veneração dos Anjos na Bíblia:
E Davi, levantando os olhos, viu o anjo do Senhor, que estava entre a terra e o céu, tendo na mão uma espada desembainhada estendida sobre Jerusalém. Então Davi e os anciãos, cobertos de sacos, se prostraram sobre os seus rostos.
(1 Cron 21,16)
E, virando-se Ornã, viu o anjo; e seus quatro filhos, que estavam com ele, se esconderam. Ora, Ornã estava debulhando trigo.
(1 Cron 21,20)
Vendo Gideão que era o anjo do Senhor, disse: Ai de mim, Senhor Deus! pois eu vi o anjo do Senhor face a face.
(Jz 6,22)
Vede, não desprezeis a nenhum destes pequeninos; pois eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêm a face de meu Pai, que está nos céus.
(Mt 18,10)
Mas o anjo lhe disse: Não temais, Zacarias; porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João;
(Lc 1,13)
Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus.
(Lc 1,30)
O anjo, porém, lhes disse: Não temais, porquanto vos trago novas de grande alegria que o será para todo o povo:
(Lc 2,10)
[Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; então o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.]
(Jo 5,4)
Portanto, a mulher deve trazer sobre a cabeça um sinal de submissão, por causa dos anjos.
(1 Cor 11,10) 
Conjuro-te diante de Deus, e de Cristo Jesus, e dos anjos eleitos, que sem prevenção guardes estas coisas, nada fazendo com parcialidade.
(1 Tm 5,21)
Deus ordena que se façam imagens de Anjos (querubins), para ornamentar a Arca da Aliança, simbolizando o quão ela era sagrada e já mostrando o valor da venração. E isso não é idolatria: 
“18 Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório.
19 Farás um querubim numa extremidade e o outro querubim na outra extremidade; de uma só peça com o propiciatório fareis os querubins nas duas extremidades dele.
20 Os querubins estenderão as suas asas por cima do propiciatório, cobrindo-o com as asas, tendo as faces voltadas um para o outro; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório.” (Ex 25, 18-20)
Do mesmo modo, também foram feitas imagens de Anjos e outras figuras (I REIS 6,35) para ornamentar o Templo, assim como temos imagens em nossas igrejas católicas e isso foi agradável a Deus, pois ” a glória do Senhor encheu o templo” (I REIS 8, 10-11). 
Leiamos o trecho sobre as imagens de Anjos feitas para o Templo de Jerusalém, tirado do I Livro dos Reis, 6, 23-29: 
“23 No oráculo fez dois querubins de madeira de oliveira, cada um com dez côvados de altura.
24 Uma asa de um querubim era de cinco côvados, e a outra de cinco côvados; dez côvados havia desde a extremidade de uma das suas asas até a extremidade da outra.
25 Assim era também o outro querubim; ambos os querubins eram da mesma medida e do mesmo talho.
26 Um querubim tinha dez côvados de altura, e assim também o outro.
27 E pôs os querubins na parte mais interior da casa. As asas dos querubins se estendiam de maneira que a asa de um tocava numa parede, e a do outro na outra parede, e as suas asas no meio da casa tocavam uma na outra.
28 Também cobriu de ouro os querubins.
29 Quanto a todas as paredes da casa em redor, entalhou-as de querubins, de palmas e de palmas abertas, tanto na parte mais interior como na mais exterior.”
Podemos orar diante das imagens, pois nossa oração é direcionada para aquele, ou aqueles que elas representam como os israelitas diante da imagem da serpente de bronze (Num 21, 8-9) ou diante da Arca, símbolo da presença de Deus (Números 7,89; 10,35) , diante dos querubins da Arca (Ex 25, 18-22) e do templo (IRe 6, 35)
Podemos e devemos orar aos Anjos, pois o que é orar, rezar se não conversar com eles? E isso vemos em muitas passagens, como nessas:
Respondeu Balaão ao anjo do Senhor: pequei, porque não sabia que estavas parado no caminho para te opores a mim; e agora, se parece mal aos teus olhos, voltarei.
(Nm 22,34)
15 Então Manoá disse ao anjo do Senhor: Deixa que te detenhamos, para que te preparemos um cabrito.
(Jz 13,15) 
Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra!
(Sal 103,20)
Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todas as suas hostes!
(Sal 148,2)
Então perguntei: Meu Senhor, quem são estes? Respondeu-me o anjo que falava comigo: Eu te mostrarei o que estes são.
(Zac 1,9)
Eu perguntei ao anjo que falava comigo: Que é isto? Ele me respondeu: Estes são os chifres que dispersaram a Judá, a Israel e a Jerusalém.
(Zac 1,19)
Podemos pedir a Deus que nos envie seu Anjo para nos instruir:
“8 Então Manoá suplicou ao Senhor, dizendo: Ah! Senhor meu, rogo-te que o homem de Deus, que enviaste, venha ter conosco outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer.
9 Deus ouviu a voz de Manoá; e o anjo de Deus veio outra vez ter com a mulher, estando ela sentada no campo, porém não estava com ela seu marido, Manoá.” (Jz 13,8-9)
Um trecho bíblico interessante, para entendermos o culto aos Anjos, é o do livro dos juízes capítulo 13, versículos 15 ao 20:
“15 Então Manoá disse ao anjo do Senhor: Deixa que te detenhamos, para que te preparemos um cabrito.
16 Disse, porém, o anjo do Senhor a Manoá: Ainda que me detenhas, não comerei de teu pão; e se fizeres holocausto, é ao Senhor que o oferecerás. (Pois Manoá não sabia que era o anjo do Senhor).
17 Ainda perguntou Manoá ao anjo do Senhor: Qual é o teu nome? – para que, quando se cumprir a tua palavra, te honremos.
18 Ao que o anjo do Senhor lhe respondeu: Por que perguntas pelo meu nome, visto que é maravilhoso?
19 Então Manoá tomou um cabrito com a oferta de cereais, e o ofereceu sobre a pedra ao Senhor; e fez o anjo maravilhas, enquanto Manoá e sua mulher o observavam.
20 Ao subir a chama do altar para o céu, subiu com ela o anjo do Senhor; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram com o rosto em terra.”
Nesse texto, vemos a oração feita ao Anjo, em veneração:
“Deixa que te detenhamos, para que te preparemos um cabrito.”
O Anjo não impede a veneração, as honras que Manoá quer fazer (detê-lo, que fique mais com eles em virtude honras que queira prestar-lhe), mas a adverte que holocaustos devem ser oferecidos a Deus. 
Ou seja, uma coisa é honrar os Anjos, venerá-los, isso é justo, mas outra é adorá-los, isso é condenável:
“16 Disse, porém, o anjo do Senhor a Manoá: Ainda que me detenhas, não comerei de teu pão; e se fizeres holocausto, é ao Senhor que o oferecerás. (Pois Manoá não sabia que era o anjo do Senhor). “
Mas adiante, vemos claramente que o Anjo não repudia o Culto de veneração:
“17 Ainda perguntou Manoá ao anjo do Senhor: Qual é o teu nome? – para que, quando se cumprir a tua palavra, te honremos.
18 Ao que o anjo do Senhor lhe respondeu: Por que perguntas pelo meu nome, visto que é maravilhoso? “
Manoá diz claramente querer honrar o Anjo, esse não a critica, apenas se recusa a dizer seu nome, pois é maravilhoso.
Título Original – CULTO AOS ANJOS – NA BÍBLIA
Site: Breviário
Editado por Henrique Guilhon

A Arca, a Mulher e a Virgem Maria – Maria, a nova Arca da Aliança

Dom Henrique Soares
A Igreja nos faz contemplar aquela estupenda visão do Apocalipse: “O Templo de Deus que está no céu se abriu, e apareceu no templo a arca da sua aliança”. Eis aqui uma primeira imagem da Virgem Maria: Arca da Aliança. Não é invenção da Igreja não! O próprio Evangelho de Lucas faz essa leitura da Virgem como nova Arca da Aliança. É só comparar 2Sm 6,1-15 com Lc 1,39-45: (1) a Arca vai para Jerusalém, na região montanhosa de Judá; a Virgem vai à região montanhosa de Judá; (2) Davi diz: “Como virá a Arca do meu Senhor para ficar na minha casa?”; Isabel diz: “Donde me vem que a Mãe do meu Senhor venha à minha casa?”; (3) A Arca fica três meses na casa de Obed-Edom; Maria fica três meses na casa de Isabel. Como a Arca trazia em si as tábuas da Antiga Aliança, a Virgem traz em si Aquele que é a Nova Aliança de Deus com o seu povo. Neste sentido, a Arca é um sinal do amor perene do Senhor pelo seu povo, pela sua Igreja. É isto também que é a Virgem Maria, enquanto Mãe dAquele que é a nossa Aliança.
A Mulher grávida, vestida de sol, pisando a luz e coroada com doze estrelas é, ao mesmo tempo, a Igreja e a Virgem Maria: Maria é personificação e imagem da própria Igreja. A Liturgia hoje contempla nesta Mulher (cf. Gn 3,15; Jo 2,4; 19,26) a própria Virgem Maria: vestida de Cristo, Sol de justiça, nele glorificada; ela entra naquilo que é definitivo: pisa a lua, sinal da inconstância e mutabilidade da vida; coroada com doze estrelas, número do antigo e do novo Israel, que é a Igreja. Mas, sempre grávida, sempre exercendo sua função materna de gerar Cristo em nós pela sua oração maternal, como nova Arca da Aliança de Deus com o seu povo, que é a Igreja. Na luta que atravessa a história, luta entre o Reino de Deus e o reino de Satanás, a Virgem Maria estará sempre presente, como consolo, força e intercessão materna!
Olhemos para o céu, onde está em corpo e alma a Virgem Santíssima: o que ela foi nós somos: peregrinos neste mundo; o que ela é nós seremos: totalmente glorificados na glória de Cristo!
Título Original:  A Arca, a Mulher e a Virgem Maria
Site: Dom Henrique.com
Editado por Henrique Guilhon

Quem provou para o mundo a autenticidade dos Evangelhos foram, mais do que tudo, os inimigos da Igreja católica

Prof. Felipe Aquino
Depois de mostrar, historicamente, que Jesus existiu mesmo, precisamos mostrar que Ele é Deus. Porque daí vem a importância fundamental da Igreja Católica, que Ele fundou.
As provas da divindade de Jesus estão nos quatro Evangelhos escritos por Mateus, Marcos, Lucas e João. O primeiro e o último foram Apóstolos, testemunhas oculares de tudo o que escreveram; Lucas foi discípulo de S. Paulo, e Marcos de São Paulo e depois, de São Pedro.
Os Evangelhos são os Documentos, de autenticidade cientificamente comprovada, onde se baseia a nossa fé católica.
Mas pode ser que alguém levante esta antiga dúvida: será que os Evangelhos são autênticos? Será que não foram forjados para inventar um Jesus milagroso, divino, etc.?
Quem provou para o mundo a autenticidade dos Evangelhos foram, mais do que tudo, os inimigos da Igreja Católica, os racionalistas dos séculos XVII e XVIII. Os seus adeptos, Renan, Harnack, Rousseau, Voltaire, etc; empreenderam, com grande ardor, o estudo crítico dos quatro Evangelhos, com a sede de destruí-los, e mostrar ao mundo que eles eram falsos.
Muitos desses racionalistas foram mentores da Revolução Francesa, os quais tiveram, nesta época, a ousadia sacrílega de entronizar a imagem da “deusa da razão”, na sagrada Catedral de Notre Dame, de Paris.
A sua vontade era mostrar para o mundo que os Evangelhos eram uma farsa, uma invenção da Igreja Católica, e que teriam sido forjados para apresentar Jesus como Deus e, assim, justificar a existência da Igreja Católica como guia espiritual dos homens. Enfim, o alvo era a Igreja Católica, a quem queriam destruir. Colocaram, então, mãos à obra, examinando detalhadamente os Evangelhos.
A que conclusão chegaram esses racionalistas, que só acreditavam na matéria e na ciência, e que empreenderam, com o mais profundo rigor da Ciência, cujo deus era a Razão, a análise sobre a autenticidade histórica dos Evangelhos?
Empregando os conhecimentos da ciência, os “métodos das citações”, “das traduções”, “o método polêmico”, e outros, vasculharam todas as páginas e palavras dos Evangelhos… No entanto, a própria ciência racionalista mostrou ao mundo a autenticidade dos Evangelhos. Depois de 50 anos de trabalho chegaram à conclusão exatamente oposta a seus desejos e, por coerência científica, tiveram que afirmar como Renan, racionalista da França:
“Em suma, admito como autênticos os quatro Evangelhos canônicos” (Vie de Jesus).
Harnack, racionalista alemão, foi obrigado a afirmar:
“O caráter absolutamente único dos Evangelhos é, hoje em dia, universalmente reconhecido pela crítica” (Jesus Cristo é Deus? José Antonio de Laburu, ed. Loyola, pág. 55).
Streeter, grande crítico inglês teve de afirmar que:
“Os Evangelhos são, pela análise crítica, os que detém a mais privilegiada posição que existe” (idem).
Os mais exigentes críticos racionalistas do século XIX, Hort e Westcott, foram obrigados a afirmar:
“As sete oitavas partes do conteúdo verbal do Novo Testamento não admitem dúvida alguma. A última parte consiste, preliminarmente, em modificações na ordem das palavras ou em variantes sem significação. De fato, as variantes que atingem a substância do texto são tão poucas, que podem ser avaliadas em menos da milésima parte do texto” (idem pág. 56).
Finalmente os racionalistas tiveram que reconhecer a veracidade histórica, científica, dos Evangelhos:
“Trabalhamos 50 anos febrilmente para extrair pedras da cantaria que sirvam de pedestal à Igreja Católica?” (ibidem).
Os inimigos da fé católica, quiseram destruir os Evangelhos, e acabaram reconhecendo-os como os Livros mais autênticos, segundo a própria crítica racionalista.
Como se diz, o tiro saiu pela culatra, e os inimigos da Igreja lhe prestaram um grande favor: mostraram para o mundo que os Evangelhos são verídicos.
Prof. Felipe Aquino
Leia também: 
Share on:WhatsApp
Sobre Prof. Felipe AquinoO Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
Título Original: Os Evangelhos são autênticos?
Site: Cleofas
Editado por Henrique Guilhon

Sobre o mês da Bíblia – A experiência com a Palavra de Deus transforma os corações


Quinta – feira de Adoração


Padre Reinaldo Cazumbá – Foto: Arquivo Canção Nova

Pe Reinaldo Cazumbá
Rezando com a Palavra de Deus
Estamos neste mês de setembro celebrando a Palavra de Deus; ela é viva e eficaz. Nela Deus tem respostas para a nossa vida e sempre terá. Ela nos liberta e transforma, provoca em nós uma vida de oração. E, toda a nossa oração é baseada na Palavra de Deus.
O que nós queremos provocar neste mês é, cada vez mais, fazer com que o Cristão se volte para a Palavra. Todos que encontram-se com Jesus, encontram-se com a Palavra.
Nós, só entendemos o Antigo Testamento, olhando para o “Novo”; olhando para Jesus. Sabemos que o Antigo Testamento nos remete para a vinda de Jesus Cristo. Em Deuteronômio, capítulo 6, versículo 4, nos diz:”Escuta Israel”.
São Paulo nos diz que a salvação entra pelos ouvidos. Quando fazemos uma verdadeira experiência com a palavra de Deus, a nossa vida é transformada. Quer rezar bem? Tenha sempre a Palavra de Deus como lâmpada, como o salmo 119,105 nos fala: “A Palavra é um farol para nossos passos, uma luz para o nosso caminho”.
A eficácia da Palavra em nossa vida
“Pois a palavra de Deus é viva, eficaz e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes. Penetra até dividir alma e espírito, articulações e medulas. Julga os pensamentos e as intenções do coração” (Hebreus 4,12).
A Igreja vive da Palavra de Deus, claro que, a partir de uma interpretação, de um entendimento, conduz a vida da pessoa tranquilamente. A Palavra de Deus traz paz e a experiência com ela transforma os corações, transforma a vida.
“A primeira atitude para ter contato com a Palavra de Deus é o sentido da escuta.”
Eu já vi a Palavra de Deus sendo pronunciada e pessoas sendo libertas de espíritos maus. Ela traz libertação, por isso, o padre durante a Missa proclama o Evangelho e, no final, ele diz: “Palavra de Salvação”.
Nós aprendemos a rezar com a Palavra. Não sei se você tem tanto contato com a Palavra e, não sei qual é o conteúdo da sua oração. Mas, os salmistas nos ensinam que é necessário rezar com aquilo que é anunciado pela boca de Deus. A nossa oração é uma oração eficaz se, de fato, nós temos conhecimento da Palavra de Deus. Nós rezamos e comunicamos com Deus a partir daquilo que temos de conhecimento d’Ele.
O caminho de conversão
Se você estuda a Sagrada Escritura, ela provocará em você a conversão. Nós mudamos de vida com a experiência do encontro pessoal com Jesus a partir da Palavra de Deus. Quando Jesus curava uma pessoa, Ele dizia: “Vai e conte o que você escutou; o que você experimentou”.
A Palavra de Deus não nos engana; quem a vive, sabe que não vive enganado. Ela provoca, em nós, o desejo de permanecer com o Senhor. A Palavra de Deus nos faz livres, autênticos; nos faz viver na verdade; ela é uma escola para a nossa vida.
Nós precisamos aprender com o povo do antigo testamento: colocar o rosto no chão e humilhar-se diante de Deus. Na oração precisamos nos render a Deus. O autossuficiente e o orgulhoso não conseguem rezar. Quando a rainha Ester foi rezar, ela tirou o manto real e humilhou-se na presença do Senhor.
Quando você reza, você se humilha da presença d’Ele? O que é daqueles que dizem: “Estou rezando e, o Senhor, precisa fazer em minha vida e ponto final”.
Precisamos aprender com aqueles que vieram antes de nós, para aprendermos a rezar (Cf.: Ester 4,1ss), uma sugestão é fazer um estudo dos livros de Ester e do livro de Tobias, e observarmos como eles oravam. Quando você melhorará na oração? Somente quando humilhar-se e colocar o rosto diante de Deus.
A melhor oração é quando nos colocamos em humilhação diante do Senhor. É a Palavra d’Ele que ensina isso.
Transcrição e adaptação: Adailton Batista
Título Original: A experiência com a Palavra de Deus transforma os corações
Site: Eventos Canção Nova
Editado por Henrique Guilhon

As terríveis consequências de tradutores não católicos à verdade bíblica

 
Fernando Nascimento
Foram terríveis os prejuízos causados pelos tradutores protestantes em todas as suas tentativas de traduzir as Sagradas Escrituras. A incompetência, aliada muitas vezes a má fé, causou danos irreparáveis aos ensinamentos de Jesus Cristo na terra contribuindo decisivamente para a dispersão de seu rebanho. Acompanhe abaixo cada tradutor protestante e seu atentado às Escrituras: 
Lutero
 Na Alemanha, já havia 30 diferentes edições católicas alemãs da Bíblia*, mas, Lutero, fundando o protestantismo, resolveu fazer sua tradução e adulterou Romanos 1,17, onde diz que “o justo viverá pela fé”. Ele acrescentou a palavra alemã “allein” que significa “somente”, e passou a pregar que o justo “viverá SOMENTE pela fé”. Foi o modo desonesto que ele achou para justificar sua nova religião do “Sola fide”. Ele mesmo confirmou esta adulteração, quando cheio de ódio disse: ”Se um papista lhe questionar sobre a palavra ‘somente’, diga-lhe isto: papistas e excrementos são a mesma coisa. Quem não aceitar a minha tradução, que se vá. O demônio agradecerá por esta censura sem minha permissão.” (Amic. Discussion, 1, 127,’The Facts About Luther,’ O’Hare, TAN Books, 1987, p. 201). – * (Imperial Encyclopedia and Dictionary © 1904 Vol. 4, Hanry G. Allen & Company), (Holman Bible Dictionary © 1991).A carta de Tiago que condena o “Somente a fé” em (2,20), (2,14-16) e (2,21-22), foi assim tratada pelo dito “reformador”: ”A carta de Tiago é uma carta de palha, pois não contém nada de evangélico.” (‘Preface to the New Testament,’ ed. Dillenberger, p. 19.).
Hoje, discretamente retiraram o “somente” das traduções protestantes posteriores, mas a doutrina de Lutero (sola fide) é a essência do protestantismo. Continua o jeito fácil de salvar-se, “somente” tendo fé, como determinou Lutero: “Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia”. (Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521 – American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963).
Zwinglio
Zwínglio foi além, na sua tradução alemã, ousou adulterar as mais importantes palavras de Jesus Cristo, com visível intenção de eliminar sua presença na Eucaristia. Colocou a palavra “significa”, onde Jesus diz que o pão “É” seu Corpo e o vinho “É” seu Sangue. Veja o repúdio de um autor protestante da época: “Não é possível de modo algum excusar este crime de Zwínglio; a cousa é por demais manifesta; (…) Não o podeis negar nem ocultar porque andam pelas mãos de muitos os exemplares dedicados por Zwinglio a Francisco, rei de França, e impressos em Zurique no mês de março de 1525. Na aldeia de Munder, na Saxônia, no ano 60 eu vi na casa do reitor do colégio, Humberto, não sem grande maravilha e perturbação, exemplares da Bíblia alemã, impressas em Zurique, onde verifiquei que as palavras do Filho de Deus haviam sido adulteradas no sentido dos sonhos de Zwinglio. Em todos os quatro lugares (Mt., 26; Mc., 14; Lc., 22; I cor., 11) em que se referem as palavras da instituição do Filho de Deus, o texto achava-se assim falseado: Das bedeutet meinen Leib, das bedeutet meinen Blut, isto significa o meu corpo, isto significa o meu sangue.” (Conr. Schluesselburg, op. cit. f. 44 a.) (citações em padre Leonel Franca, op. cit., pág. 211).
Lutero levantou-se contra Zwinglio, e disse que ”“é “ não pode ser traduzido por “significa””. (Uma Confissão a respeito da Ceia de Cristo – Von Abendmahl Christi, Bekenntnis WA 26, 261-509, LW 37. 151-372, PEC 287-296. – SASSE, H. Isto é o meu Corpo, p. 107). Citado em: http://www.seminarioconcordia.com.br/Artigos_Prunzel/A_Santa_Ceia%20_em_Lutero.mht
Eles corrigiram isso nas versões protestantes seguintes. Mas, até hoje os pastores pregam que “significa”.
Tyndale
Tyndale foi outro falsário protestante, por isso, morto por um decreto do imperador em Augsburg. O rei Henrique VIII já havia condenado em 1531 a “bíblia” de Tyndale como uma corrupção da Escritura. Nas palavras dos conselheiros do rei: “a tradução da Escritura corrompida por Tyndale deveria ser totalmente expelida, rejeitada e deveria ficar fora das mãos das pessoas…”. Para se pensar, que as “bíblias” protestantes de Tyndale ou Lutero fossem tão boas, por que os protestantes europeus hoje não as usam como fazem com a King James? São Thomas More, que viveu naquele tempo comentou que, procurar erros na “bíblia” de Tyndale era semelhante a procurar água no mar. (Henry G. Graham, Where We Got The Bible (TAN Books, 1977) pp. 128,130).
Miguel Servet
Miguel Servet foi outro protestante que morreu por corromper ao traduzir as Escrituras. João Calvino, o principal “reformador” protestante em 1522, obteve tantas cópias quanto pôde ter achado da Bíblia protestante de Miguel Servet para serem queimadas, já que Calvino não a aprovou. Depois Calvino queimou o próprio Miguel Servet na estaca. (Henry G. Graham, Where We Got The Bible (TAN Books, 1977) p. 129).
William Shakespear
William Shakespear, aquele da caveirinha, nasceu em 1564, e quando tinha 46 anos, em 1610, participou da tradução da Bíblia protestante do Rei Tiago (King James Version – KJV, publicada em 1611), e maliciosamente forçando a tradução, ele deixou autografado seu sobrenome no Salmo 46. Usando uma Bíblia KJV, localize o Salmo 46 e conte 46 palavras a partir do início: você encontrará a palavra “shake”. Vá agora para o final do mesmo Salmo e conte 46 palavras a partir da última voltando: você encontrará agora a palavra “spear”. Junte-as, e você obterá “Shakespear” (veja abaixo).
SALM 46 (King James Version):
“God is our refuge and strength, a very present help in trouble. Therefore will not we fear, though the earth be removed, and though the mountains be carried into the midst of the sea; Though the waters thereof roar and be troubled, though the mountains shake with the swelling thereof. Selah. There is a river, the streams whereof shall make glad the city of God, the holy place of the tabernacles of the most High. God is in the midst of her; she shall not be moved: God shall help her, and that right early. The heathen raged, the kingdoms were moved: he uttered his voice, the earth melted. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge. Selah. Come, behold the works of the Lord, what desolations he hath made in the earth. He maketh wars to cease unto the end of the earth; he breaketh the bow, and cutteth the spear in sunder; he burneth the chariot in the fire. Be still, and know that I am God: I will be exalted among the heathen, I will be exalted in the earth. The Lord of hosts is with us; the God of Jacob is our refuge”. (Charles The Hammer – Fonte: Catholic Apologetics .Net ).
E assim o malandro Shakespear fez sua travessura, nos Salmos da bíblia inglesa protestante. Apesar do descalabro acima, esta é tida pelos protestantes como sua melhor tradução. Isso porque foi literalmente traduzida da Vulgata Católica de São Jerônimo. O crítico bíblico protestante, George Campbell, disse: “A vulgata é, no geral, uma versão boa e fiel”. ( Fonte: Lista Apologética Aplicada).
João Ferreira de Almeida
João Ferreira de Almeida, um protestante adolescente de 16 anos de idade, de origem portuguesa (que não era padre coisa nenhuma, mas usava esse título para ganhar credibilidade), afirmava ter feito a primeira tradução em língua portuguesa da Bíblia, diretamente dos originais em hebraico e grego. O que não é verdade.
Este, nunca teve a mão os originais da bíblia, mas, escritos do séc. XVI de Erasmo de Roterdam. Também valeu-se de traduções católicas em vários idiomas, como atesta a Enciclopédia Wikipédia: “João Ferreira de Almeida lançou-se num enorme projecto: a tradução do Novo Testamento para o português usando como base parte dos Evangelhos e das Cartas do Novo Testamento em espanhol da tradução de Reyna Valera, 1569. Almeida usou também como fontes nessa tradução, as versões: Latina (de Beza), Francesa [Genebra, 1588] e Italiana [Diodati 1641] – todas elas traduzidas do grego e do hebraico. O trabalho foi concluído em menos de um ano quando Almeida tinha apenas 16 anos de idade.”http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Ferreira_de_Almeida
A tradução do NT do adolescente João Ferreira tinha tantos erros, que os revisores passaram quatro anos tentando corrigir o que ele fez em menos de um. Ele morreu em 1691, sem completar o VT, e outro continuou a desastrada missão. Antes de morrer, João Ferreira publicou uma lista de mais de mil erros em seu Novo Testamento, e Ribeiro dos Santos afirma serem mais. (Ribeiro dos Santos foi um importante historiador do protestantismo brasileiro. Ele era pastor presbiteriano).
Hoje, os erros aumentaram, incluindo os de gramática, com frases inteiras erradas, tanto pela fraseologia quanto pela ortografia e sintaxe. Em (Êxodo 9,24), (I Samuel 18,22) e (I Cor 4,3) a palavra espanhola “mui” aparece com grande freqüência do VT ao NT, provando que a tradução não foi dos originais, mas, surrupiada de versões latinas.
As novas edições do adolescente João Ferreira, trazem muitos velhos erros, apesar de aparecer escrito na página inicial de cada volume, as frases: “EDIÇÃO REVISTA E CORRIGIDA”, ALMEIDA CORRIGIDA E FIEL. Tais expressões significam, em bom português, que o que foi impresso trouxe sempre erros e mais erros, a ponto de a própria legítima Palavra de Deus ter tido a necessidade de ser examinada de novo (revista) e “corrigida” por seres humanos incapazes, dando a entender que essa Palavra revelada pela Escritura Sagrada, no Antigo e no Novo Testamento, continha erros e precisou ser CORRIGIDA!
Em 1819, a Bíblia iniciada e não terminada por João Ferreira de Almeida foi publicada em um só volume pela primeira vez, com o título:
<>
Note que 128 anos depois da morte de João Ferreira, que usava o título de “padre” para ganhar credibilidade, os protestantes, continuaram usando esse mesmo falso título, para dar credibilidade a sua bíblia ainda hoje infestada de erros. Alguns dizem que ele usava o título de “padre” ingenuamente, porque eram assim também chamados os missionários protestantes. Mas ingênuo mesmo, é quem crê numa marmelada destas.
Como se não bastasse as distorções das Sagradas Escritura, eles também a mutilaram arrancando-lhe sete livros.
Até o início do séc. XVII, os deuterocanônicos estavam lá nas Bíblias protestantes. Dá uma conferida na edição protestante KJV de 1611, e veja que nela estavam TODOS OS DEUTEROCANÔNICOS. Somente após a morte do Rei Tiago é que os protestantes resolveram “reformar” sua bíblia, ARRANCANDO-LHE definitivamente os deuterocanônicos, e os tachando erroneamente de “apócrifos”, por contrariarem suas doutrinas humanas. E ainda espalharam a mentira de que a Igreja os teria inserido no Concílio de Trento. Para desmascará-los, basta ver tais livros no índice de bíblia de Gutemberg, impressa quase um século antes deste Concílio. Veja: http://www.hrc.utexas.edu/exhibitions/permanent/gutenberg/web/pgstns/13.html
Corrigindo os protrestantes: <> sempre significou: [escritos de assunto sagrado não incluídos pela Igreja no Cânon das Escrituras autênticas e divinamente inspiradas,] (Dicionário Enciclopédia. Encarta 99). Ou seja, são os livros que ficaram fora do Cânon da Igreja. Esses é que são os espúrios, ocultos etc, etc..
Já os deuterocanônicos, estão sim no Cânon cristão. Confira: já escrevia Santo Agostinho, no ano 397: “… O cânon inteiro da Bíblia é o seguinte: os cinco livros de Moisés, ou seja, Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio,… Tobias, Éster e Judite, e os dois livros de Macabeus,… Para dois livros, Sabedoria e Eclesiástico, é designado Salomão como autor, mas nossa provável opinião é que foram escritos por Jesus, o filho de Sirac,… Baruque,…” (Santo Agostinho, Sobre a Doutrina Cristã, livro 2, cap. 8, 13 ano 397).
Virginia Mollenkott
Durante os anos em que a bíblia protestante NIV (Nova Versão Internacional), esteve sendo preparada (1968-1978), trabalhou na comissão Virginia Mollenkott. Ela declarou sem a menor cerimônia: “Meu lesbianismo sempre tem sido parte de mim…” (New International Version – What today’s Christian needs to know about the NIV, G.W. & D.E. Anderson, article no. 74 TBS).
Declarou ainda a tradutora protestante: “Até onde eu sei, ninguém incluindo o Dr. Palmer suspeitava que eu era lésbica enquanto eu estava trabalhando na NIV; era informação que eu mantinha privada naquela época”. (Carta de Virginia Mollenkott a Michael J. Penfold datada em 18 Dez. 1996).
Como resultado natural de seu homossexualismo, Virginia Mollenkott certamente influenciou o texto da NIV, que suprimiu palavras contundentes sobre a condenação que o Senhor faz à prática homossexual. A mais escancarada foi em 1Cor 6,10 onde as palavras “efeminados” e “sodomitas” [em grego literalmente “arsenokoites” – homem que pratica coito com outro homem], foram retiradas e substituídas por “male prostitutes” (homens prostitutos) e “homosexual offenders” (ofensores de homossexuais!). Veja, agora, que se você prega para um homossexual que ele está em pecado quando pratica o homossexualismo, você o está ofendendo e você é que está cometendo o pecado imperdoável!!!
A corrupção foi tanta, que 64.576 palavras estão faltando na corrupta NVI e DEZESSETE VERSOS INTEIROS! Veja a lista:
Em Mateus: 3 versos: 17:21, 18:11 e 23:14.
Em Marcos: 5 versos: 7:16, 9:44, 9:46, 11:26 e 15:28.
Em Lucas: 2 versos: 17:36, 23:17.
Em João: 1 verso: 5:4.
Em Atos: 4 versos: 8:37, 15:34, 24:7, 28:28,
Em Romanos: 1 verso: 16:24 e
Em 1João: 1 verso: 5:7.
Total: 17 versos subtraídos!
A NVI foi lançada no Brasil, e certamente é a preferida das igrejas evangélicas gays: ‘Sinos de Belém’ e ‘Acalanto’. Ótima, para as corriqueiras cerimônias “matrimoniais” gays da igreja presbiteriana.
E assim vai o povo errante do “Somente a fé”, do “significa”, dos falsários mortos, do errático tradutor de dezesseis anos que dizia-se “padre”, do “revista e corrigida”, do “ corrigida e fiel”, do Shakspear, do arranca livros e da lésbica tradutora, chamando o Todo Poderoso Deus, de “El Shadai”(???), de “Jeová” (???), ou qualquer outra coisa que os corruptores determinarem. O problema como vimos, é que seus ludibriados leitores viciam na palavra errada.
O Reverendo. Dr. Aked, ministro batista, declarou à “Appleton’s Magazine,” em setembro de 1908:
“Nas páginas da versão protestante da Bíblia será achado erros históricos, enganos aritméticos, inconsistências e contradições múltiplas, e, o que é longe pior, a pessoa acha que os crimes mais horríveis são cometidos por homens que falam: ‘Deus disse,’ em justificação de seus terríveis atos. Além disso, a Bíblia inglesa é uma versão de uma versão que é uma tradução de uma tradução. Veio do hebraico, grego e latim em inglês. Em todas suas fases antigas foi copiada à mão de um manuscrito a outro por escritores diferentes, um processo que resultou em muitos enganos”.
Corrompendo e mutilando a Bíblia, Lutero e seus seguidores caem sob a maldição da própria Bíblia, que diz:
” Eu declaro a todos aqueles que ouvirem as palavras da profecia deste livro: se alguém lhes ajuntar alguma coisa, Deus ajuntará sobre ele as pragas descritas neste livro; E se alguém dele tirar qualquer coisa, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, descritas neste livro.” (Apoc. 22,18-19).
“É que de fato, não somos, como tantos outros, falsificadores da palavra de Deus. Mas é na sua integridade, tal como procede de Deus, que nós a pregamos em Cristo, sob os olhares de Deus.” (2 Cor. 2,17).
Autor: Fernando Nascimento
Bibliografias ao longo do texto
MAIS UMA ADULTERAÇÃO PROTESTANTE DESMASCARADA:
Percebam a malandragem protestante e como é fácil iludir um Filho de Lutero.
BÍBLIA FININHA E ADULTERADA PROTESTANTE DIZ:
“Eu sou o Senhor; este é o meu nome, Não darei a outro a minha glória nem a IMAGENS o meu louvor” (isaias 42:8)
BÍBLIA ORIGINAL CATÓLICA:
Eu sou o Senhor, esse é meu nome, a ninguém cederei minha glória, nem a ÍDOLOS minha honra (Isaías 42,8)
Perceberam a astúcia da serpente ardilosa?
O Protestante Almeida, inspirado por satanás, arrancou a palavra “ÍDOLOS” e a substituiu pela palavra “IMAGENS”.
E o iludido protestante até hoje está a serviço do Demônio, deturpando a Bíblia, para acusar os verdadeiros Cristãos de idólatras.
.EXPLICAÇÃO DA ADULTERAÇÃO:
Em Is 42, 8, Deus fala, com muita clareza, que não dividiria Sua glória com outros deuses (ou com outros ídolos, dependendo da tradução).
O Protestante -como sempre- com a livre interpretação correndo na veia, faz sua interpretação enviesada e descontextualizada.
Vejam como Deus NÃO divide sua Glória, APENAS COM OS ÍDOLOS, mas a divide com os Homens.
Salmo 8, 6: “(Tu, Senhor), fizeste (o homem) pouco menos do que os anjos, coroando-lhe de GLÓRIA e de HONRA.”
“Nossas tribulações momentâneas não têm comparação com o PESO eternos de GLÓRIA que nos está preparado nos céus.”(2 Co, 4 17)
Os protestantes, no entanto, com a sua sola algumas partes da scriptura, afirmam que Deus não cede a ninguém Sua Glória, continuando com apenas o que lhes interessa e desprezando tudo o mais.
E, depois, acusam a Igreja Católica de desrespeitar a Bíblia.
Para completar a tragédia, além de lerem apenas o que lhes interessam, AINDA LÊEM MAL.
E DÁ-LHE SOLA SCRIPTURAAAAAAA!!!!!!
.
Adulterações nas Bíblias protestantes
Amigos, sabemos que além da Reforma ter retirado 7 Livros da bíblia, ainda faltam nas bíblias protestantes, partes dos livros de Ester e Daniel ou seja, além dos 7 livros retirados, foram retirados algumas partes desses dois livros, ou seja eles consideram os livros de ester e Daniel como parcialmente inpirados (como se isso fosse possível). É Evidente que eles escolheram na bíblia somente o que convém, retirando tudo o que contrariava as doutrinas diabólicas de Lutero, na verdade eles nao obedecem a bíblia, e sim Lutero e suas interpretaçoes erroneas, esse ex-monge herege que chegou a dizer que Jesus teve um caso com Maria Madalena:
“Cristo Adúltero. Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte [do poço de Jacó] de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: “Que fez, então, com ela? ” Depois, com Madalena, depois, com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim, Cristo, tão piedoso, também teve que fornicar, antes de morrer” (Lutero, Tischredden, Conversas à Mesa, N* 1472, edição de Weimar, Vol. II, p. 107, apud Franz Funck Brentano, Martim Lutero, Ed Vecchi Rio de Janeiro 1956, p. 15).
Pobre Protestantes só conhecem um lado da vida de Lutero, o outro lado desconhecem por completo, deve ser por isso que o veneram tanto. Além disso Lutero mandou matar 50 mil anabatistas em uma só semana, e depois nos julgam pela Santa inquisição.
Bom, resumindo, além de todos esses absurdo, ainda vemos que o que “restou” da bíblia protestante, ainda foi adulterado, isso é facilmente visto por quem busca a linguagem original que a bíblia foi escrita, lá no tempo do papiro ainda. Ou seja, principalmente o Grego, hebraico e aramaico.
Recorremos a Linguagem original e veja o quanto a bíblia deles é de Péssima tradução, traduzida como convém ou seja, Traduzida no intuito de Destruir a Igreja Católica.
Marcos levy – 6 de março de 2012 – denunciar abuso
CHEIA DE GRAÇA OU AGRACIADA?
BÍBLIA CATÓLICA:(ORIGINAL)
“Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo” (Lc 1,28).
BÍBLIA PROTESTANTE:
(Versão: Atualização Revisada de João Ferreira de Almeida)
“E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo.” (LC 1:28)
PROVA DA ADULTERAÇÃO:
A expressão “Cheia de Graça” consta no original grego como KARITOU.
Esta palavra grega expressa a Graça de Deus em sentido máximo, isto é, em toda sua plenitude.
Ela é também utilizada por São Paulo em sua carta aos Efésios:
“No seu amor nos predestinou para sermos adotados como filhos seus por Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua livre vontade, para fazer resplandecer a sua maravilhosa graça [charitoo], que nos foi concedida por ele no Bem-amado” (Ef 1,5-6)
Não foi sem razão que São Jerônimo (séc. IV), o MAIOR ESPECIALISTA cristão nas línguas bíblicas, quando traduziu as Escritura para o Latim (tradução conhecida como Vulgata), traduziu karitou por gratia plena.
O termo protestante “agraciada” NÃO TRANSMITE a plenitude da Graça recebida por Nossa Senhora.
Este termo transmite uma imprecisão que não se encontra no original grego, portanto torna-se infiel à Verdade, LOGO É IMORAL.
FINALIDADE DA ADULTERAÇÃO PROTESTANTE :
NEGAR A IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA, AFIRMANDO QUE ELA É PECADORA
É claro que esta manobra protestante foi aí colocada para negar a bem-aventurança dada por Deus à Virgem Maria.
Falsearam a Verdade sob o véu da imprecisão.
Enfim, se fosse para o Protestantismo ensinar a Verdade, não existiria, seria Catolicismo.
Marcos levy – 6 de março de 2012 – denunciar abuso
MULHER IRMÃ ou ESPOSA CRENTE????
BÍBLIA CATÓLICA
“Acaso não temos nós direito de deixar que nos acompanhe uma MULHER IRMÃ, a exemplo dos outros apóstolos e dos irmãos do Senhor e de Cefas? ” (I Coríntios 9,5)
BÍBLIA PROTESTANTE
“Não temos nós direito de levar conosco uma ESPOSA CRENTE, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? “(1Co 9:5)
PROVA
Original Grego: “me ouk ecomen exousian ADELFEN GUNAIKA periagein on kai oi loipoi apostoloi kai oi adelfoi tou kuriou kai kefan”
GUNAIKA – significa mulher mas pode também ser traduzido como esposa assim como acontece no português;
ADELFE – significa irmã e nunca “CRENTE” como foi traduzido no texto protestante.
FINALIDADE DA ADULTERAÇÃO
Provar que os apóstolos não praticavam o celibato.
Marcos levy – 6 de março de 2012 – denunciar abuso
PARENTA OU PRIMA???
BÍBLIA CATÓLICA
“Também Isabel, tua PARENTA, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril…” (Lc 1,36)
BÍBLIA PROTESTANTE
“Também Isabel, tua PRIMA, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril…” (Lc 1,36)
FINALIDADE
Provar que existia esta expressão (PRIMA) na época para tentar provar Jesus tinha irmãos.
OBS-
Na época de Jesus não se tinha, as palavras tios, tias, primos, primas…
MAS, O TERMO IRMÃO OU PARENTE.
Marcos levy – 6 de março de 2012 – denunciar abuso
IRMÃOS OU SEGUIDORES?
BÍBLIA CATÓLICA ORIGINAL
“Depois apareceu a mais de quinhentos IRMÃOS de uma vez, dos quais a maior parte ainda vive (e alguns já são mortos);” ( 1 Cor.15,6)
BÍBLIA PROTESTANTE:
Nova Tradução na Linguagem de Hoje, Barueri (SP) Sociedade Bíblica do Brasil, 2000
Série NTLH40/7 SBB 2003
“Depois, apareceu de uma só vez, a mais de quinhentos SEGUIDORES, dos quais a maior parte ainda vive, mas alguns já morreram”(1 Cor.15,6)
FINALIDADE PROTESTANTE:
Maliciosa e malandramente Trocaram IRMÃOS por SEGUIDORES.
Fazendo isso, escamoteiam que assim fica provado que a palavra IRMÃOS, não pode ser usada para justificar que os supostos irmãos de Jesus eram filhos de Maria.
Como explicar que Maria teve MAIS DE 500 FILHOS?
Marcos levy – 6 de março de 2012 – denunciar abuso
EXCLUIU A PENITÊNCIA
Encontramos várias passagens mais destacarei MT 3,2
BÍBLIA CATÓLICA
(Versão Ave Maria)
“Dizia ele: Fazei penitência porque está próximo o Reino dos céus”. (MT 3,2)
VERSÃO GREGA SEPTUAGINTA + NT
“Kai legwn metanoeite hggiken gar h basileia twn ouranwn..” (MT 3,2)
BÍBLIA PROTESTANTE
(Versão Almeida corrgida e revisada)
“E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus”. (MT 3,2)
PROVA
A palavra Grega “Metanoia” significa fazer penitênica, mas essa foi omitida e trocada por outras palavras.
FINALIDADE:
Primeiramente atacar a penitência do sacramento da confissão e segundo para dar suporte a heresia do Sola Fide, pois ao ser salvo pela fé já não há mais necessidade de penitências.
Marcos levy – 6 de março de 2012 – denunciar abuso
“PROCISSÃO” OU “CARREGAM OS SEUS ÍDOLOS” ???
PROCISSÃO no lugar de AQUELES QUE TRAZEM
Exemplos das falsificações protestantes estão em (Isaías 44,9-10,15,17). O falsário protestante, além de enfiar “imagem de escultura” onde consta ÍDOLO, ainda enfiou criminosamente a palavra “procissão” em (Is 45,20).
BIBLIA CATÓLICA
(Isaías 45:20)
“Vinde, reuni-vos todos, aproximai-vos, vós que fostes salvos dentre as nações! Nada disso compreendem AQUELES QUE TRAZEM SEU ÍDOLO DE MADEIRA, aqueles que oram a um deus impotente para salvar”
BIBLIA PROTESTANTE ADULTERADA
(Isaías 45:20)
“Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem emPROCISSÃO AS SUAS IMAGENS DE ESCULTURA, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar.”
ORIGINAL FRANÇES:
.
20. “Assemblez-vous et venez, approchez ensemble, Réchappés des nations! Ils n`ont point d`intelligence, ceux qui portent leur idole de bois, Et qui invoquent un dieu incapable de sauver.”
FINALIDADE DA ADULTERAÇÃO:
Forçar a falsa idéia que a procissão católica não passa de uma forma de idolatria, ou melhor caluniar os católicos de IDÓLATRAS.
Marcos levy – 6 de março de 2012 – denunciar abuso
BÍBLIA CATOLICA
Ed. Pastoral,43° ediçao de fevereiro 2001:‘Jesus respondeu:”Eu lhe garanto:hoje mesmo vc estarà comigo no paraiso.”(S. Lucas 23,43).
BÍBLIA PROTESTANTE
mesmo Cap. e vers. na traduçao das Testemunhas de Jeová. (O novo mundo das escrituras):Jesus respondeu:“Eu lhe garanto hoje: estarà comigo no paraiso.”
Finalidade
Colocar uma virgula onde nao há, para dizer que o ladrao IRIA pro paraiso um dia, e nao subito a sua morte!
Marcos levy – 7 de março de 2012 – denunciar abuso
“não multipliqueis as palavras” ou “não useis de vãs repetições” ???
TEXTO ORIGINAL GREGO
Προσευχόμενοι δὲ μὴ βατταλογήσητε ὥσπερ οἱ ἐθνικοί, δοκοῦσιν γὰρ ὅτι ἐν τῇ πολυλογίᾳ αὐτῶν εἰσακουσθήσονται. (Mt 6,7)
TRADUÇÃO CATÓLICA
“Nas vossas orações, não multipliqueis as palavras, como fazem os pagãos que julgam que serão ouvidos à força de palavras.” (Mt 6,7)
TRADUÇÃO PROTESTANTE
“E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.”(Mt 6,7)
SIGNIFICADO DA PALAVRA
βατταλογήσητε – gaguejar, isto é (por conseqüência) tagarelar tediosamente, isto é, FICAR FALANDO, FALANDO…Nada, portanto de “vãs repetições” como adulteram os protestantes para condenar os católicos.
FINALIDADE DA ADULTERAÇÃO
Acusar falsamente a IGREJA CATÓLICA de rezar orações repetitivas. muito, embora meditadas e proferidas com muito amor.
Marcos levy – 7 de março de 2012 – denunciar abuso
PARTIDO OU ENTREGUE?
Bíblia Protestante
I Coríntios, 11 23:24
“Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é PARTIDO por vós; fazei isto em memória de mim.”
Bíblia Católica
I Coríntios, 11 23:24
“Eu recebi do Senhor o que vos transmiti: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, depois de ter dado graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo, que é ENTREGUE por vós; fazei isto em memória de mim.”
Finalidade da Adulteração
Dizer que o Pão e Vinho é Simbólico, e é somente Pão. Negar a Eucaristia como sendo verdadeiro Corpo e Sangue do Nosso Senhor Jesus Cristo.
Marcos levy – 7 de março de 2012 – denunciar abuso
HONRA OU PROVÉM???
São Lucas 1,43
Bíblia Católica
“Donde me vem esta HONRA de vir a mim a mãe de meu Senhor?”
Bíblia protestante
“E de onde me PROVÉM isto a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?”
Finalidade da Adulteração
Minimizar a importância da visita de Maria a sua prima Isabel.
Marcos levy – 9 de março de 2012 – denunciar abuso
CO-ELEITA EM BABILÔNIA ou IGREJA ESCOLHIDA DE BABILÔNIA???
Bíblia protestante
“A vossa CO-ELEITA EM BABILÔNIA vos saúda, e meu filho Marcos.”
Bíblia católica
” A IGREJA ESCOLHIDA DE BABILÔNIA saúda-vos, assim como também Marcos, meu filho.”
Finalidade da Adulteração
Por que esconderam a palavra Igreja? Pra tentar fazer acreditar que a Igreja eleita não estava em Roma? Além do que, usaram babilônia com letra minúscula para não parecer um nome próprio.
Marcos levy – 9 de março de 2012 – denunciar abuso
BÍBLIA DE LUTERO OS PRÓPRIO PROTESTANTES FALAM DE SUAS FALSIFICAÇÕES
AUTORES PROTESTANTES:
– JERÔNIMO EMSER – “Lutero vira de tal modo a Bíblia para a fé sem as obras, que no fim, não há mais uma coisa nem outra”. Indica 1400 falsificações;
– JOÃO DIETENBERGER, contemporâneo de Lutero: “O que Lutero não quer, ele o suprime da Bíblia; o que se ajusta com o seu querer ele o ajunta, em prova de seus erros”. (Grisar III. 440 nota 1)
– PHILIPS VON MARNIX – “De todas as traduções em uso nas igrejas protestantes, nenhuma existe que se afaste tanto do texto original, como a de Lutero”. (Tübenger Theol.: Quartalschrift, 1848);
– JOSIAS BUNSEN – assinala cerca de 3.000 passagens falsificadas, e intitula a obra de Lutero a menos exata de todas. (F. Nippold: Christian Von Bunser. 1868, III, 182)
Marcos levy – 9 de março de 2012 – denunciar abuso
E para aqueles que Adulteram e mutilam a bíblia o Livro do Apocalipse adverte severamente:
Apocalipse 22
“Eu declaro a todos aqueles que ouvirem as palavras da profecia deste livro: se alguém lhes ajuntar alguma coisa, Deus ajuntará sobre ele as pragas descritas neste livro; e se alguém dele tirar qualquer coisa, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, descritas neste livro. Aquele que atesta estas coisas diz: Sim! Eu venho depressa! Amém. Vem, Senhor Jesus! A graça do Senhor Jesus esteja com todos.”
MAIS UMA ADULTERAÇÃO PENSADA DO MEIO PROTESTANTE:
Confiar no protestantismo é abraçar a morte espiritual. Vejamos o que diz as Escrituras originais que os protestantes adulteram colocando a palavra “mensageiro” onde se lê “ANJO INTERCESSOR, UM DOS MILHARES.”
(Jó 33,22-24) “A sua alma se vai chegando à cova, e a sua vida, aos portadores da morte. Se com ele houver UM ANJO INTERCESSOR, UM DOS MILHARES, para declarar ao homem o que lhe convém, então, Deus terá misericórdia dele e dirá ao anjo: Redime-o, para que não desça à cova; achei resgate.”
Será que não precisamos mesmo de intercessores como querem fazer parecer os contraditórios protestantes? Vejamos o que diz a bíblia deles:
(1Tm 2, 1-3): “…Antes de tudo, que façam deprecações, orações, INTERCESSÕES e ações de graças por todos os homens (…) POR QUE ISTO É BOM E AGRADÁVEL DIANTE DE DEUS, NOSSO SALVADOR.”
Título Original: CORRUPÇÃO E MUTILAÇÃO DAS BÍBLIAS PROTESTANTES
Site: Cai a Farsa
Editado por Henrique Guilhon
%d blogueiros gostam disto: